quarta-feira, 22 de julho de 2015

FALECEU FERNANDO REGÊNCIO


Faleceu Fernando Carlos Regêncio Lopes

Coimbra perdeu um ilustre cidadão. O Clube de Futebol do União de Coimbra perdeu um competente e apaixonado dirigente. O núcleo de veteranos perdeu um grande amigo.
O dia 20 de julho ficará marcado na história do nosso clube por uma profunda dor, tristeza e consternação.
Fernando Regêncio era um homem ímpar. Com uma vida sempre ligada ao desporto foi treinador de clubes como o Carapinheirense, Anadia e União de Coimbra (juniores). O seu enorme carácter e a sua forma de estar granjearam o respeito e admiração de todos os que com ele privavam. Como Presidente da Mesa da Assembleia Geral (funções que desempenhava actualmente) era rigoroso e intransigente na defesa dos interesses do nosso clube e lutava com todas as suas forças para manter bem vivo um clube quase centenário mas que passa, como todos sabemos, por um período muito difícil. O interesse e o acompanhamento que fazia da vida das camadas jovens do clube, era contagiante.
A sua dimensão humana e dedicação a causas sociais e solidárias levou-o a colaborar intensamente, nos últimos anos, com a Casa de Infância Dr. Elysio de Moura, instituição de enormes e invulgares méritos da cidade.
O funeral realizou-se no dia 22 de julho, da capela da Casa de Infância Dr. Elysio de Moura para jazigo no cemitério da Conchada.
A missa de 7º dia, sufragando a sua alma, realizou-se no dia 27 de julho (2ª feira), pelas 18 horas na capela da Casa de Infância Dr. Elysio de Moura.

"Quão misteriosa é a vida... quão misteriosa é a morte"

Os grandes homens não morrem. Fernando Regêncio era um grande homem. Ele permanecerá bem vivo na memória de todos os que com ele privaram. A sua família em primeiro lugar, que ele tanto amava e da qual era um pilar fundamental. Os seus amigos, depois, que reconheciam nele a seriedade, a generosidade e o carácter de que são moldados os grandes homens. Por último, os unionistas, que viam no Presidente da Mesa da Assembleia Geral do seu clube o guardião e fiel depositário  das esperanças e anseios dos sócios do clube da Cruz de Santiago.

Fernando Regêncio, o núcleo jamais te esquecerá







segunda-feira, 15 de junho de 2015

SARDINHADA - SÁBADO DIA 20 DE JUNHO

Está "oficialmente encerrada" a nossa época desportiva, com a tradicional sardinhada, este ano de novo em Tábua. O núcleo está reconhecidamente grato ao nosso veterano Jorge Alexandre que nos abriu as portas de sua casa para realizar o nosso convívio. A manhã iniciou-se com uma renhida "peladinha", com muitos golos mas, uma avaria no marcador electrónico, impediu que se apurasse o resultado final.
Antes da sardinha ir para a mesa, alguns mergulhos na piscina abriram o apetite para a sardinhada que Cortez e Teixeira, com a colaboração de Toninho, tão bem prepararam.

(fotos de Cristina Seixas, João Trindade e Manuel Amado)
As duas equipas posaram para a fotografia



     Freitas espalhou o perfume do seu futebol

                                         Trindade diz a Freitas que só falhou dois golos

                                          Um brinde ao núcleo de veteranos do C. F. União de Coimbra




                                        A comissão da sardinhada e o melhor marcador Jorge Alexandre, 
                               com o "patrono" Pedro Maria
Depois de mais uma época desgastante
houve veteranos que chegaram ao fim "presos por arames"


No próximo sábado, dia 20, vamos realizar a nossa tradicional sardinhada. "Espreitem" aqui como foram os nossos convívios nos anos anteriores:

SARDINHADA 2014 + MAIS FOTOS DE 2014

SARDINHADA EM 2013

SARDINHADA EM 2012

terça-feira, 9 de junho de 2015

ALGUNS NÚMEROS... EM FINAL DE ÉPOCA

Terminados os nossos convívios desportivos analisamos, agora em números, a nossa prestação na época 2014/2015.
Assim, realizámos 23 jogos e contabilizámos 12 vitórias, 2 empates e 9 derrotas. Relativamente a golos marcados e sofridos conseguimos festejar por 55 vezes, e sofremos 43 golos.
Para os 55 remates certeiros muito contribuiram os 16 golos de Jorge Alexandre, os 8 golos de Beto e os 4 golos de Fernando Martins e Maná.

Jorge Alexandre, com 16 golos, voltou a ser o melhor marcador da equipa

Maná 4 golos
Beto 8 golos


                  Fernando Martins 4 golos                                                                                                                                                                      




domingo, 7 de junho de 2015

MELGACENSE- 3 U. COIMBRA-1


Jogo no Complexo Desportivo e Lazer de Monte Prado, em Melgaço.
Ao intervalo: 0-1.
Marcador: Murta.
Treinador: Joaquim Loureiro.
União de Coimbra: Rebelo, Arcanjo, Gonçalo, Ramos, Monteiro, Amado, Quim-Zé, Vítor Sá, André, Murta e Trindade.
Jogaram na 2ª parte: João Rebelo, Joaquim e João Paulo.
Outras presenças: Pedro Maria, Ramiro, Rodrigo e Cortez.

Alta temperatura "aqueceu" final do jogo

Nada fazia prever que o final deste jogo/convívio entre estes dois núcleos fosse tão atribulado mas, uma atitude irreflectida de um melgacense, que agrediu o nosso guarda redes, manchou o reencontro das duas equipas.
A jogar sob uma temperatura de 33º as duas formações imprimiram um ritmo lento à partida. Na primeira parte controlámos o jogo, fazendo uma circulação de bola adequada ao forte calor que se fazia sentir. O golo de Murta, num remate cruzado à entrada da área, foi o corolário de algum domínio da nossa parte.
No segundo tempo, com poucos elementos no "banco" para gerir o esforço  da equipa, o desgaste acumulado foi-se fazendo sentir no nosso "onze". Por outro lado, a formação da casa "refrescou" a sua equipa com novos elementos, que fizeram pender para o seu lado o controlo da partida. Foi, assim, com alguma naturalidade, que os melgacenses deram a volta ao resultado. Já a perder, um derrube a Vítor Sá na área, não foi sancionado com a devida grande penalidade e, na jogada seguinte, os melgacenses voltaram a marcar. O provocatório festejo deste golo despoletou algumas lamentáveis cenas de violência que elementos das duas equipas procuraram rapidamente sanar. 
Foi a mancha de um jogo entre dois núcleos com uma forte relação de amizade e que os responsáveis de ambos souberam realçar.

A equipa de Melgaço deu a volta ao resultado na segunda parte
Situado bem lá no norte do País, a viagem a Melgaço proporcionou à comitiva unionista um belíssimo passeio por aquela região de Portugal. Saídos de Coimbra de manhã, os nossos veteranos fizeram uma primeira paragem em Caminha (onde descansaram e almoçaram) para depois rumar a Melgaço e ao seu Complexo Desportivo.
O rio Minho, em Caminha. Na outra margem, Espanha

 O chafariz do Terreiro, em Caminha, obra renascentista



terça-feira, 2 de junho de 2015

PRÓXIMO JOGO - EM MELGAÇO

No próximo sábado, dia 6 de junho, vamos realizar o último jogo desta época. A saída para MELGAÇO vai ter 3 modalidades, a saber:

Saída às 10h00m com pernoita em Melgaço e regresso no domingo
Saída às 10h00m com regresso a Coimbra depois do jantar
Saída às 12h15m com regresso a Coimbra depois do jantar

O ponto de encontro é, como habitualmente, na Pastelaria Vasco da Gama, ao Calhabé.
Os veteranos que vão participar nesta última jornada devem comunicar, via e-mail, a modalidade que preferem.

domingo, 31 de maio de 2015

A. D. GUARDA- 1 U. COIMBRA- 0


em cima (esqª-dtª)) Abel, Loureiro, Pedro Maria, Arcanjo, Alex, Teixeira, Ramiro, Zeca, Quim Zé e Luís Santos
em baixo (esqº-dtª)) Amado, Vítor Duarte, Joaquim, Toninho, João, Rebelo e Trindade
Jogo no Estádio Municipal da Guarda.
Árbitro: Amadeu Almeida.
Auxiliares: António Rocha e Augusto Batista.
Ao intervalo: 0-0.
Marcador: Vítor.

Exibição merecia melhor resultado

Na deslocação à mais alta cidade do país o núcleo esteve à altura dos seus pergaminhos e, apesar da derrota tangencial, efectuou uma exibição muito positiva. Coletivamente a equipa esteve irrepreensível, com uma postura táctica muito forte e algumas exibições individuais de bom nível.
Conhecedores da qualidade da equipa egitaniense e num relvado em más condições, os nossos atletas entregaram-se ao jogo "de alma e coração" e só não conseguiram melhor resultado porque, em três lances fundamentais, o juiz da partida não decidiu da melhor forma: dois derrubes na área a João Rebelo, passíveis da marcação de grande penalidade, que Amadeu Almeida não considerou e um livre directo (inexistente) de que resultou o único golo da partida. No segundo tempo, a lesão de Alex e a saída de João Rebelo fragilizaram a nossa equipa e deram novo fôlego à equipa da casa que conseguiu, então, alguma supremacia e durante a qual conseguiu inaugurar o marcador. Não fossem as decisões erradas atrás mencionadas e o resultado teria sido bem mais favorável às nossas cores.

A A D Guarda venceu pela margem mínima





Gil, representante da AD Guarda, entrega lembrança a Trindade